domingo, 29 de dezembro de 2013

A Revolução chega à Gralheira (1976)



No seguimento da revolução de 25 de Abril de 1974 lançaram-se pelo país várias campanhas ideológicas. Sobretudo pelo interior português (onde a resistência à mudança era maior, o controlo da Igreja Católica mais incisivo e onde o analfabetismo e a iliteracia grassavam), o MFA – Movimento das Forças Armadas – investiu ferozmente no desenvolvimento de actividades mobilizadores da população, opondo-as que considerava o avanço neo-fascista, constituído pelos partidos da social-democracia, como o PSD e o CDS.
Numa destas campanhas, no Inverno de 1976, um dos activistas do MFA António Modesto Navarro passou pela Gralheira e deixou o registo de uma série de entrevistas a habitantes locais. À parte o carácter político e ideológico das perguntas o relato dá-nos uma imagem lago diversa da Gralheira actual, não obstante certas características culturais e de isolamento que ainda marcam aquela comunidade.


Para complemento de leitura: 

Speech by ReadSpeaker